terça-feira, 1 de março de 2016

Maioria da população rejeita legalização do aborto para casos de microcefalia, diz Datafolha

Maioria da população rejeita legalização do aborto para casos de microcefalia, diz Datafolha

A proposta de descriminalização do aborto para casos de microcefalia não conta com o apoio da maioria da população, segundo pesquisa realizada pelo instituto Datafolha.
O levantamento, realizado em 171 municípios do país, com 2.768 pessoas, descobriu que 58% da população entendem que as grávidas que foram infectadas com o víruszika não devem abortar. Para 32%, as mulheres deveria ter esse direito, enquanto 10% preferiu não opinar.
O relatório da pesquisa reforça que essa rejeição é majoritária inclusive nos casos em que, durante a gestação, os médicos constatam a microcefalia: 51% se mantiveram contra o aborto, enquanto 39% se posicionaram favoráveis.
Ainda não há uma prova definitiva de que o vírus zika seja o responsável pelo surto de microcefalia, mas os indícios colhidos até agora apontam nessa direção. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, essa indicação levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a decretar emergência mundial, tendo o Brasil como epicentro da doença, pois já foram confirmados 583 casos de microcefalia desde outubro, mais de 90% deles na região nordeste.
O entendimento de que o aborto deveria ser um direito em casos de microcefalia só é maioria em uma faixa social: adultos com formação superior e renda familiar acima de 5 salários mínimos

TERREMOTO NO BRASIL

Curitiba é atingida por tremor de terra Um tremor de terra foi registrado na região de Rio Branco do Sul e Itaperuçu, na Região Merop...