sexta-feira, 18 de março de 2016

ÁRVORE BÍBLICA VOLTA A BROTAR EM ISRAEL APÓS 2 MIL ANOS


Segundo a tradição judaica, as tamareiras da Terra Santa chegaram a Israel trazidas do Egito após o Êxodo. 
A espécie mais comum na região por séculos de fato tem uma genética que mostra uma relação mais próxima com a variedade egípcia da planta, conhecida como Hayany.

Até os tempos de Jesus, esse tipo específico de tamareira (Phoenix Dactylifera) era comum em todo o território do estado de Israel. Durante séculos foi um símbolo da região. Além de possuir propriedades medicinais, todas as suas partes podiam ser aproveitadas, especialmente seus nutritivos frutos.

Contudo, segundo a história, ela ficou extinta por quase dois mil anos. Numa tentativa de abalar a economia local, os romanos cortaram todas as tamareiras da Judeia. O “milagre” aconteceu em 1973.
Durante uma viagem de exploração na Fortaleza de Massada, o arqueólogo israelense Ehud Netzer, da Universidade Hebraica de Jerusalém, descobriu um pote cheio de sementes de tâmara. Ele procurou o arqueólogo botânico Mordechai Kislev, da Universidade Bar-Ilan, de Tel Aviv.
Kislev guardou as sementes num depósito por 31 anos, considerando que seria impossível elas voltarem a germinar depois de dois milênios. Contudo, em 2004, ele falou sobre as sementes com a doutora Elaine Solowey, diretora do Instituto de Estudos Ambientais Arava, no Kibbutz Ketura, localizado no extremo sul de Israel.

TERREMOTO NO BRASIL

Curitiba é atingida por tremor de terra Um tremor de terra foi registrado na região de Rio Branco do Sul e Itaperuçu, na Região Merop...