sexta-feira, 18 de março de 2016

ÁRVORE BÍBLICA VOLTA A BROTAR EM ISRAEL APÓS 2 MIL ANOS


Segundo a tradição judaica, as tamareiras da Terra Santa chegaram a Israel trazidas do Egito após o Êxodo. 
A espécie mais comum na região por séculos de fato tem uma genética que mostra uma relação mais próxima com a variedade egípcia da planta, conhecida como Hayany.

Até os tempos de Jesus, esse tipo específico de tamareira (Phoenix Dactylifera) era comum em todo o território do estado de Israel. Durante séculos foi um símbolo da região. Além de possuir propriedades medicinais, todas as suas partes podiam ser aproveitadas, especialmente seus nutritivos frutos.

Contudo, segundo a história, ela ficou extinta por quase dois mil anos. Numa tentativa de abalar a economia local, os romanos cortaram todas as tamareiras da Judeia. O “milagre” aconteceu em 1973.
Durante uma viagem de exploração na Fortaleza de Massada, o arqueólogo israelense Ehud Netzer, da Universidade Hebraica de Jerusalém, descobriu um pote cheio de sementes de tâmara. Ele procurou o arqueólogo botânico Mordechai Kislev, da Universidade Bar-Ilan, de Tel Aviv.
Kislev guardou as sementes num depósito por 31 anos, considerando que seria impossível elas voltarem a germinar depois de dois milênios. Contudo, em 2004, ele falou sobre as sementes com a doutora Elaine Solowey, diretora do Instituto de Estudos Ambientais Arava, no Kibbutz Ketura, localizado no extremo sul de Israel.

Os Dez Mandamentos volta ao ar no dia 25 de julho

Um dos maiores sucessos da televisão brasileira dos últimos anos, a novela  Os Dez Mandamentos  volta a ser exibida a partir do dia 25 ...