terça-feira, 26 de janeiro de 2016

"Estamos nos preparando agora para a chegada do Mahdi"

O Mahdi, uma espécie de "messias" islâmico, ou seja, o anticristo bíblico.

Mohammad Ali Jafari, comandante da Guarda Revolucionária Islâmica, disse que o Irã preparou quase 200.000 homens jovens nos países em todo o Oriente Médio para ajudar com a chegada do Mahdi, um líder muçulmano que dará início a justiça antes do Dia do Juízo.

O General Mohammad Ali Jafari, disse que a recente violência e os atuais desenvolvimentos na região, incluindo a ascensão do grupo Estado Islâmico e de outros grupos extremistas, é sinal de que a chegada do líder (messias) muçulmano é iminente, informou o jornal Turkish Daily Sabah.

"E os eventos que ocorreram nos últimos anos estão pavimentando o terreno para o surgimento de Imam Mahdi.

Agora você pode ver os resultados positivos na disponibilidade de quase 200 mil jovens armados na Síria, Iraque, Afeganistão, Paquistão e Iêmen." Disse Jafari

Os muçulmanos xiitas acreditam que o Mahdi vai chegar depois de um período de violência generalizada e instabilidade, e dará início a justiça e um evento como o "Armagedom", a batalha conclusiva entre o bem e o mal. 

Os comentários vêm como o Irã tem crescido cada vez mais emaranhados com vários conflitos regionais, inclusive na Síria, onde as forças da Guarda Revolucionária têm lutado para apoiar o presidente Bashar Assad em apuros.

O conflito, que se dividiu em linhas sectárias, tem dado origem a teorias apocalípticas, como a guerra na região que foi profetizado pelo profeta islâmico Maomé, no século sétimo. Centenas de milhares de pessoas foram mortas na guerra síria, e milhões mais foram deslocadas.

Vários líderes regionais expressaram desaprovação da declaração do general iraniano, informou Asharq al-Awsat, um jornal de língua árabe baseado em Londres. 

Um porta-voz do governo do Iêmen disse que os comentários de Jafari foram vistos como "agressão direta contra o Iêmen e uma violação de sua soberania."
Houthis têm lutado contra o governo iemenita por meses e acredita-se ser apoiado pelo Irã.

A região tem visto as tensões sectárias se intensificando nas últimas semanas, em particular na sequência da execução de um clérigo xiita popular na Arábia Saudita, um país de maioria sunita. A execução provocou protestos em comunidades xiitas em vários países muçulmanos, incluindo no Irã, onde manifestantes atacaram a embaixada da Arábia Saudita.

Arábia Saudita e vários de seus aliados predominantemente sunitas na região cortou laços diplomáticos com o Irã após o ataque à embaixada. A execução e clamor que se seguiu foi visto como exacerbando as relações já tensas entre Irã e Arábia Saudita, duas das maiores potências do Oriente Médio.

O Verdadeiro Avivamento não é rodar, pular e nem gritar. Avivamento É AQUELE QUE FAZ o Pecador SE ARREPENDER.